A cada dia, 65 bilhões de mensagens são enviadas através do WhatsApp, uma cifra que faz a qualquer um pensar que suas conversas são uma pequena gota em um imenso oceano de 0 e 1 e que, portanto, ninguém vai parar ou se incomodar de ler o que é escrito, além dos destinátarios.

Além disso, o WhatsApp afirma há muito tempo que suas mensagens são criptografadas de um ponto a outro e, portanto, são protegidas contra olhares de outras pessoas, mas isso pode não ser inteiramente verdade.

Esse conceito se tornou uma armadilha para a gigante rede social, porque, foi descoberto (ou foram trazidos à luz, devido a desconfianças) uma nova vulnerabilidade no WhatsApp que afetaria o próprio algoritmo de criptografia usado pela plataforma e permite que qualquer pessoa personifique sua identidade.

Cuidado, eles podem estar interceptando suas mensagens

Não há ainda motivos para alarmismo, mas se alguma vez notar que alguém poderia estar manipulando suas conversas ou passar por algum mal-entendido com alguém depois de falar com WhatsApp, é possível que seja uma falha de vulnerabilidade.

De acordo com pesquisadores da empresa de segurança Check Point, existe uma vulnerabilidade nos protocolos de segurança do WhatsApp que permite o acesso a eles, assim como editar e enviar com conteúdo modificado.

Segundo esta companhia de segurança, os protocolos utilizados pelo WhatsApp podem ser acessados ​​e transformados, permitindo um tipo de engenharia reversa capaz de modificar esses protocolos ao gosto de qualquer um.

Quais seriam os riscos

A priori, é bastante fácil de provar a falsidade de uma mensagem que chegou modificada se enviar uma imagem da mensagem originalmente enviada, mas o problema é se o invasor decide também interceptar todas as mensagens que o usuário envia.

A defesa nesse caso seria que mostrar o telefone celular para o destinatário da conversa para mostrar que não foram os autores da mensagem manipulada ou utilizando um meio alternativo para enviar esta imagem da tela.

Mais prejudicial poderia ser esta vulnerabilidade se fosse usada para espalhar histórias falsas massivamente aparentemente escritas por outra pessoa, porque, neste caso, não estando o usuário consciente do engano, a desinformação pode atingir muitas pessoas antes de se ter a oportunidade de provar a inocência.

De acordo com a Check Point, há vários cenários em que esta fragilidade do WhatsApp poderia ser usada de maneiras prejudiciais, tais como alterar as mensagens de uma pessoa em um grupo, criar compromissos com um autor modificado.

Até mesmo, há a chance de se enviar mensagens privadas para um membro de um grupo para acreditar que é uma mensagem pública e ele responda e sua resposta seja lida pelo dito grupo.

A empresa de segurança já entrou em contato com os responsáveis do WhatsApp, mas, enquanto isso, eles recomendam que usuários permaneçam alertas sobre o conteúdo das mensagens.

Por enquanto, os responsáveis ​​por essa plataforma de mensagens não fizeram nenhuma declaração, mas reconheceram a existência do problema, portanto, não deve demorar muito atéque um patch de segurança esteja disponível para corrigir a vulnerabilidade.

Foi detectada uma vulnerabilidade no WhatsApp que permite manipular mensagens
Avalie esse Post

Saiba Mais